UNPOP
Desmontar o Populismo: Comparando a formação de narrativas da emoção e os seus efeitos no comportamento político

Período
22 de março de 2021 a 21 de março de 2024
Duração
36 meses
Resumo

Embora o populismo possa considerar-se alheio a práticas democráticas ou uma versão deturpada e irracional do discurso político, os partidos populistas são mestres no uso da emoção em política. No já rico corpus da literatura sobre populismo, apenas alguns estudos se concentram no entrelaçar do populismo com as emoções, embora muitos o reconheçam. Estes estudos têm-se focado na mobilização de emoções negativas, privilegiado metodologias quantitativas e abordado as emoções como elementos descritivos dos atores e dos atos de discurso populista subestimado o papel das emoções como categoria fundamental na análise da política populista. O desenredar das narrativas de emoção permite uma análise mais profunda do modo como os fenómenos populistas se constituem e influenciam o comportamento político. A literatura mostra cada vez mais que, para melhor entender a explosão de fenómenos populistas na Europa (e não só), é preciso determo-nos profundamente na análise das emoções. Prevemos que isto se torne evidente ao comparar Portugal (PT) - ainda recentemente considerado uma exceção - e Itália (IT) - muito experiente em populismo. O UNPOP tenciona desvendar as condições que permitem e favorecem as políticas populistas e reforçar o pressuposto já consensual, mas ainda subestimado, de que a mobilização das emoções é o seu principal motor. A fim de desenredar a rede de emoções que constitui a natureza da política populista, o UNPOP aplica uma metodologia mista e desenvolve um plano de investigação comparada com enfoque nas ‘NARRATIVAS DA EMOÇÃO’. Estas são estruturas no seio das quais se mobilizam tanto emoções positivas como negativas que estimulam o comportamento político e definem tanto as características do grupo interno como externo.

 

Resultados

Os RESULTADOS previstos pelo UNPOP englobam uma metodologia inovadora na análise da formação da política populista, evidência empírica sólida dos mecanismos usados pelos partidos políticos populistas em PT e IT para influenciar o comportamento político e um contributo relevante para a teoria democrática de sociedades reflexivas, coesas e inclusivas.

Parceiros

CINEICC- Centro de Investigação do Núcleo de Estudos e Intervenção Cognitivo-Comportamental da Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra 

Palavras-Chave
teoria democrática, partidos políticos de direita, metodologia mista, viragem afetiva
Financiamento
Fundação para a Ciência e Tecnologia