(EU)ROPA
Ascensão da Arquitetura Portuguesa: Fundamentos, Plataforma, Progressão

Período
1 de junho de 2018 a 31 de maio de 2021
Duração
36 meses
Financiamento
FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional através do COMPETE 2020 - Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (POCI) e por fundos nacionais através da FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Resumo

Este projeto de investigação tem como objetivo identificar, sistematizar, caracterizar e expor um dos mais
celebrados fenómenos da cultura contemporânea "a arquitetura portuguesa" e confrontar a sua história, ideias e métodos, com um mundo em transformação. Embora recorrente no debate arquitetónico, a arquitetura portuguesa permanece, no entanto, virtualmente desconhecida ou mal compreendida. Este projeto irá apresentar e debater o fenómeno amplamente, através da língua inglesa, abrindo-o a uma audiência global. Reunindo um grupo de investigadores com um vasto CV nesta área, o projeto irá tirar partido das suas experiências no sentido da criação de uma leitura inovadora da arquitetura portuguesa, lançando uma nova dimensão crítica e pertinência global.

A trajetória e a 'ascensão' da arquitetura portuguesa serão analisadas em 3 áreas: Fundamentos, Plataforma e Progressão.
'Fundamentos' é uma investigação sobre a genealogia da arquitetura portuguesa, história e temas principais,
apresentados como 'linhas, documentos e edifícios'. Regressando ao império português no Brasil, Ásia e África, à reconstrução pombalina de Lisboa, às Belas-Artes e Arte Nova, à Casa Portuguesa promovida pelo Estado Novo, às interpretações modernistas. E, nos anos 1960, ao início da 'ascensão' da arquitetura portuguesa. Fixaremos os 'fundamentos' concentrando-nos no período da 'ascensão', 1966-2016: da inauguração da Piscina de Leça de Álvaro Siza até ao presente. 'Fundamentos' criará uma descrição e uma teoria sobre a arquitetura portuguesa (incluindo 'outras' arquitecturas portuguesas, em Macau e África).
'Plataforma' visa a criação de uma base de dados que alojará informação sobre as 'linhas, documentos e edifícios' de 'fundamentos' e sobre a investigação e atividades de 'progressão'. Funcionará como um 'site' para futuras investigações e para a divulgação do tema depois da conclusão do projeto. Irá apoiar as atividades de disseminação ‘editoriais, fílmicas, curatoriais’ e funcionará como uma rede online sobre arquitetura portuguesa.
'Progressão' confrontará a arquitectura Portuguesa com os temas centrais da Europa, atualmente: democracia vs burocracia, globalização vs nacionalismo, pós-colonialismo vs colonialismo; e com as alterações na profissão do arquiteto e no papel da arquitetura na sociedade. É uma investigação que irá testar a resiliência e contribuição da arquitetura Portuguesa no actual panorama político, económico e cultural. Nesse sentido, o projeto inclui a criação de uma rede de jovens investigadores que trabalham em diferentes instituições europeias, 'Facing Europe', e que, através de workshops, irão produzir uma visão multifacetada e crítica de (EU)ROPA.
Citando Giorgio Agamben, o projeto visa confirmar que 'entre o arcaico e o moderno há um compromisso secreto' e questionar o estatuto da arquitetura portuguesa como firmemente enraizado na cultura europeia.

Investigadoras/es
Ana Vaz Milheiro
Bruno Gil
Carlos Machado e Moura
Carolina Coelho
Eliana Sousa Santos
Gonçalo Canto Moniz
Jorge Figueira (coord)
José António Bandeirinha
Luís Miguel Correia
Nuno Grande
Rui Lobo
Palavras-Chave
arquitectura portuguesa, levantamento crítico, debate europeu, internacionalização