(DE)OTHERING <br>Desconstruindo o Risco e a Alteridade: guiões hegemónicos e contra-narrativas sobre migrantes/refugiados e "Outros internos" nas paisagens mediáticas em Portugal e na Europa

(DE)OTHERING
Desconstruindo o Risco e a Alteridade: guiões hegemónicos e contra-narrativas sobre migrantes/refugiados e "Outros internos" nas paisagens mediáticas em Portugal e na Europa

Período
15 de julho de 2018 a 14 de julho de 2021
Duração
36 meses
Financiamento
FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional através do COMPETE 2020 - Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (POCI) e por fundos nacionais através da FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Resumo

Este projeto pretende analisar criticamente representações mediáticas de migrantes, refugiados e "outros internos" em Portugal e na Europa, mapeando as suas interconexões com narrativas produzidas no domínio da segurança e no quadro da Guerra ao Terrorismo. O seu foco, uma análise de Portugal à luz de estudos de caso europeus profundamente afetados por ameaças terroristas (Rússia e França) e por fluxos migratórios/de refugiados (Itália e Alemanha), pretende investigar a construção de narrativas transnacionais de risco que permeiam a Europa independentemente da sua exposição "diferenciada".

Assim, analisar-se-á:

a) Como é que os meios de comunicação representam migrantes, refugiados e "outros internos" no contexto da Guerra ao Terrorismo e de securitização?

b) (Re)produzem ou não narrativas de pânico moral e securitização através de construções específicas de Alteridade? Se sim, qual o papel de tropos de raça, género, idade e religião nestas representações?

c) Ou, pelo contrário, veiculam representações que podem promover uma ontologia de paz e solidariedade?

 

A abordagem epistemológica do projeto baseia-se no papel constitutivo dos discursos, isto é, no modo como determinadas perceções, representações e mitologias são mobilizadas, intencionalmente ou não, por determinados atores, e como estes discursos influenciam determinadas perceções e práticas de segurança. O foco recai nas precondições discursivas e ontológicas que permitem/impedem a mudança política.

 

O projeto mapeia a circulação e co-construção de narrativas mediáticas dominantes e alternativas (em textos
escritos e visuais) produzidas desde 2008. Concebendo os media e o contexto político portugueses como parte
da "comunidade imaginada" europeia (Anderson, 1982) e de um continuum mais alargado de representações de migrantes, refugiados e 'outros internos' dentro do atual contexto global de incerteza económica e política, o projeto centra-se em discursos: 1) Dentro da paisagem mediática europeia, comparando o corpus da análise dos media portugueses com a cobertura europeia de casos paradigmáticos; 2) Dentro da arena política europeia, comparando o corpus da análise mediática com os discursos e as ações políticas em torno desses casos paradigmáticos; e 3) Dentro de contra-narrativas relevantes nos media e no domínio político/ativismo (serão identificados e analisados textos através da análise de discurso crítica; e serão entrevistados especialistas dos media, representantes políticos e ativistas).

Adotar-se-á uma abordagem ecológica às representações mediáticas, integrando a análise de discursos dos
media dominantes e de redes sociais. Irá produzir-se um website, várias publicações académicas, um manual de literacia mediática, um kit sobre representações mediáticas direcionado para jornalistas e editores, um colóquio internacional, e uma exposição. O objetivo final do projeto é abrir caminho para a criação de um grupo de investigação interdisciplinar sobre Media, Género e Migrações.

Palavras-Chave
crise dos migrantes/refugiados, média, securitização / guerra ao terrorismo, portugal/europa