Eleições, Democracia e Direitos Humanos Formação avançada, investigação e apoio

Áreas de Trabalho

Tendo por base a experiência de trabalho nesta área, bem como projetos e parcerias atualmente em curso, prevê-se como principais linhas de trabalho:

  1.  Cursos de formação avançada de âmbito profissional – CES
    Cursos de formação avançada, tendo como âmbito principal conhecimento de âmbito profissional e técnico, principalmente na área das eleições e democracia. Os cursos decorrem no CES, em Lisboa e Coimbra, com a possibilidade de criação de formação online. Visa-se colmatar a falta de formação especializada. Incluem-se neste âmbito o curso de Observação Eleitoral, iniciativa pioneira no CES, e com previsão de edição anual. Prevê-se a realização de formação avançada no âmbito das Eleições em Portugal e diversos aspetos dos próximos atos eleitorais. A formação específica, e a pedido, é também uma possibilidade, dentro deste âmbito.
  2. Instituições de ensino, a nível nacional
    Visa-se uma colaboração com instituições de ensino a nível nacional, as quais podem acolher os cursos de formação, ou através de parcerias para a criação de cursos combinando múltiplas valências e áreas de trabalho específicas. Estão em curso iniciativas a desenvolver com diversas faculdades, incluindo de âmbito interdisciplinar. Prevê-se a realização de ações específicas em diversas universidades, de forma a sensibilizar para as questões das eleições, Democracia, e Direitos Humanos em geral; estas podem ainda resultar na combinação de diversas áreas de expertise, numa abordagem conjunta.
  3. CES vai à Escola
    Sessão: “O que é a Democracia e como posso participar?”
    Estas sessões dirigem-se a uma audiência maus jovem, incluindo futuros e jovens eleitores. Alicerçam-se na experiência prévia de trabalho com jovens, nesta área, e visam desenhar sessões que permitam sensibilizar estas audiências para estas questões. Estas sessões vão contribuir, desejavelmente, para um melhor entendimento do sistema democrático junto de uma população com níveis historicamente baixos de participação.
  4. Internacionalização
    Dentro desta linha pretende olhar-se para um panorama mais global, nomeadamente as perspectivas internacionais relativas às eleições, Democracia e Direitos Humanos. A construção de parcerias com instituições internacionais, na sequência do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido, nomeadamente com o IDEA, e o desenvolvimento de trabalho futuro, são um dos aspetos centrais. Trabalho recente com a The Hague University of Applied Sciences, na área da Justiça Eleitoral, e do programa de formação para o Tribunal Constitucional da República da Indonésia, são também uma área a aprofundar. Procura-se a construção de parcerias com instituições na área eleitoral, de diversos países, em especial de língua portuguesa, através da combinação de áreas de trabalho. O desenvolvimento de um conjunto de curricula nestas áreas é também um dos resultados desejáveis do projeto.
  5. Apoio e formação a pedido, de âmbito específico
    Dentro desta linha, podem ser criadas e levadas a cabo projetos de apoio, incluindo ações de formação específicas, de forma a ir ao encontro das necessidades de entidades e públicos específicos, incluindo em projetos concretos a desenvolver.