FINHABIT
Viver em Tempos Financeiros: Habitação e Produção de Espaço no Portugal Democrático

Período
1 de julho de 2016 a 30 de junho de 2019
Duração
36 meses
Financiamento
FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional através do COMPETE 2020 - Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (POCI) e por fundos nacionais através da FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Resumo

 

O projeto FINHABIT visa estudar a relação entre a provisão de habitação e a produção de espaço em Portugal a partir de 1974.

Ao analisar a habitação neste país europeu semiperiférico — debruçando-se sobre as formas como a finança tem moldado o uso do espaço —, o FINHABIT pretende ilustrar a importância da incorporação do espaço nos estudos sobre financeirização e da financeirização nos estudos geográficos.
A financeirização, comummente entendida como o aumento da influência das motivações, dos atores e dos mercados financeiros na economia e na sociedade, revela-se de importância crucial para o entendimento da evolução recente do capitalismo contemporâneo. Todavia, enquanto é já largamente reconhecido que a financeirização aprofundou o alcance da finança entre atores e espaços, novos ou já existentes, a investigação científica tem permanecido insuficientemente atenta às tensões entre as espacialidades relacionais e territoriais.

O FINHABIT adota uma abordagem interdisciplinar, colocando o estudo da provisão de habitação nos seus contextos histórico, político e geográfico com o objectivo de expor as suas diferenciadas dimensões sistémicas, de especificidade sectorial e geográficas. O FINHABIT organiza a investigação com base em questões relevantes para o tema em estudo, que compreendem diferentes níveis, escalas e unidades de análise (por exemplo, as políticas europeias, os sectores financeiros e de habitação e a experiência dos indivíduos), assim como na consideração de múltiplas variáveis explicativas materiais e nãomateriais,
incluindo os interesses e valores que são favorecidos (ou prejudicados) pela financeirização, e os diversos meios por que estes são promovidos (por exemplo, alterações institucionais e discurso.)

 

Este trabalho é financiado pelo FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional através do COMPETE 2020 – Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (POCI) e por fundos nacionais através da FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia, no âmbito do projeto FINHABIT, ref.ª PTDC/ATP-GEO/2362/2014 – POCI-01-0145-FEDER-016869.

Financiamento total: 197.220€

Financiamento FEDER: 152.652€

Financiamento nacional, OE: 44.568€

Resultados

Resultados alcançados:
• Promoção da abordagem de economia política às problemáticas da habitação, contextualizando histórica, política e territorialmente a provisão deste bem essencial;
• Análise de desenvolvimentos recentes da provisão de habitação, situando-os no quadro mais vasto do processo de financeirização da economia Portuguesa, isto é, da recente expansão do sector financeiro;
• Mapeamento das formas de provisão de habitação e sua diferenciação no território nacional, onde o subsistema de provisão marcado pela financeirização é apenas uma das modalidades em presença, apesar de ser a mais marcante;
• Análise dos processos de investimento imobiliário que tem como principal objetivo a extração de rendas através do arrendamento de curta duração a turistas, resultando na substituição da população residente por visitantes de economias mais avançadas alterando radicalmente a vida nos bairros;
• Demonstração do papel fundamental, essencial e não alienável, da habitação na satisfação das necessidades básicas e de bem-estar psicológico do ser humano, reforçando a indissociabilidade entre habitação, segurança e dignidade humana.

Até à conclusão do projeto, espera-se ainda:
• Explorar as implicações teóricas dos resultados obtidos para os estudos da financeirização em contextos semiperiféricos como o Português;
• Deduzir as implicações dos resultados alcançados para a política de habitação e o planeamento urbano;
• Realizar uma conferência final para discutir e disseminar os resultados do projeto.

Parceiros

Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa (IGOT/Ulisboa)

Consultoras/es
Ben Fine
Gillian Hart
Manuel Aalbers
Palavras-Chave
financeirização, habitação, espaço, desenvolvimento desigual