Porquê no CES?

Os/as estudantes que chegam a Coimbra encontram no CES um ambiente verdadeiramente cosmopolita de um centro de investigação de dimensão internacional em que a diversidade de interesses e orientações é permanentemente estimulada. Os investigadores e as investigadoras do CES possuem uma vasta experiência em diferentes áreas e países e os e as estudantes de doutoramento do CES estão a desenvolver projetos de investigação abrangendo todos os continentes. Os programas de doutoramento estão organizados de forma flexível, oferecendo um contexto comum de aprofundamento da reflexão científica ao mesmo tempo que estão abertos a propostas que vão ao encontro dos objetivos de cada um dos e cada uma das estudantes, de acordo com o respetivo perfil e interesses de investigação.

No âmbito dos 4 anos do programa, a equipa docente do programa desenvolve esforços para incorporar os doutorandos e as doutorandas em diferentes projetos em curso no CES e na UFMG, contribuindo para a definição dos estudos e do trabalho de campo, participando na elaboração de relatórios intermédios e finais, assim como nas publicações ou material audiovisual apresentado pelos projetos. Tem sido igualmente prática corrente do programa a oferta periódica de bolsas de estudos de curta duração para trabalhos específicos ligados aos diferentes projetos.

Social e culturalmente diverso, o CES também beneficia da sua posição enquanto espaço multidisciplinar das ciências sociais e das humanidades, no qual os e as estudantes podem assistir a aulas, conferências e seminários nas mais diferentes áreas do conhecimento. Os e as estudantes podem também participar ativamente nas atividades desenvolvidas pelos diferentes Núcleos do CES. Os e as estudantes podem ainda contribuir para a elaboração de projetos de investigação a implementar nas estruturas permanentes do CES, que analisam fenómenos relevantes para as transformações da democracia, tais como o Observatório da Participação, da Inovação e dos Poderes Locais (PEOPLES’), sediado no CES-Coimbra, e o Observatório da Justiça Brasileira da UFMG.
Tal como em edições passadas, os e as estudantes podem também participar e envolver-se diretamente na organização de seminários e laboratórios de eventos e redes internacionais – como os encontros do “Participedia” e da “Plataforma Global para o Direito à Cidade”, a “Bienal da Democracia” de Turim ou a “Bienal do Espaço Público” de Roma – através de visitas organizadas pela própria coordenação do Programa.

A acrescentar à diversidade e abertura do CES, há toda uma atmosfera acolhedora e de apoio do corpo docente. A coordenação está em permanente diálogo com os seus e as suas estudantes e aberta a receber novas propostas e solicitações para ampliar o leque do seu envolvimento em outras atividades coorganizadas entre estudantes, docentes e organizações terceiras. Cada estudante recebe um nível de atenção, de formação e de orientação de grande exigência por parte dos e das docentes, beneficiando igualmente da disponibilidade de toda a equipa de investigadores e investigadoras do CES. Uma vez acolhidos e acolhidas pelo CES e pela FEUC, os e as estudantes do programa de doutoramento têm acesso a todo o apoio a nível académico, científico e logístico das duas instituições.