Ciclo

Monólogos de mulheres autistas

novembro, dezembro 2021 | janeiro, fevereiro 2022

©GettyImages

Apresentação

Para haver diálogo, têm de haver pelo menos dois seres dialogantes. Quando só temos um ser falante é um monólogo. E são precisos monólogos de mulheres autistas: porque a voz delas ainda não está presente no espaço público.

Mas como encontrar a voz do autismo numa pessoa, num conjunto de pessoas? Como expressá-la? Que consequências para a própria pessoa e para as demais que convivem com ela?

Duas mulheres autistas (Rita Serra e Sara Rocha) conduzirão uma série de 5 entrevistas a mulheres autistas – incluindo elas mesmas.

Esperamos que os monólogos sejam um percursor de outros monólogos e diálogos com pessoas neurodiversas e neurodivergentes.


Como funcionam os monólogos:

O formato de monólogo experimenta algumas acomodações. As sessões serão assíncronas. Os vídeos serão carregados cada duas semanas, com início a 14 de novembro, domingo, pelas 20h, no Canal CES no YouTube e no da Voz do Autista. As pessoas são encorajadas a deixar as suas questões e observações na caixa de comentários até 31 de janeiro de 2022. Duas semanas depois todas as monologantes irão responder aos mais relevantes. 



Programa

14 de novembro de 2021
Primeira monologante:
Joanna Grace
Nota biográfica: Joanna Grace é especialista em envolvimento sensorial e inclusão, estudante de doutoramento, autora, formadora e palestrante do TEDx. Ela é a fundadora da The Sensory Projects, que parte do entendimento de que, com o conhecimento certo e a compreensão, itens baratos podem-se tornar em ferramentas sensoriais eficazes para a inclusão. Em todo o seu trabalho, Joanna procura contribuir para um futuro onde as pessoas sejam compreendidas apesar de suas diferenças.
Joanna reconheceu-se como autista pela primeira vez ao ler um artigo numa revista quando era jovem. O artigo dizia que o seu autismo era uma coisa má, então ela começou a "consertá-lo". Aos 17 anos ela considerava-se “arranjada”. No entanto, como agora entendemos, não importa o quão talentosos nos tornemos em mascarar as neurodiferenças que não desaparecem. Joanna foi diagnosticada como autista aos 36 anos. O seu livro “The Subtle Spectrum” mapeia o cenário pós-diagnóstico para autistas identificadas na idade adulta. O filho de Joanna tornou-se o autor mais jovem publicado no Reino Unido quando, aos 5 anos, publicou o seu livro "My Mummy is Autistic", que explora as experiências de processamento demorado da linguagem de Joanna. [legendado em português]

28 de novembro de 2021
Segunda monologante: Sara Rocha
Nota biográfica: Sara Rocha é licenciada em Análises Clínicas e Saúde Pública e mestre em Gestão e Economia dos Serviços de Saúde. Data Manager na Escola de Medicina da Universidade de Cambridge, na área de investigação cardiovascular. Ativista autista e escritora. Presidente e cofundadora da Associação Portuguesa Voz do Autista.

12 de dezembro de 2021
Terceira monologante: Rita Serra
Nota biográfica: Rita Serra, bióloga doutorada e investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Acompanha com a atenção possível o desenrolar da vida material-semiótica, e para ordenar os sentidos, escreve. Autora de dois blogues (Histórias da Serra - O desafio de saber como pensa e (se) vive (n/com) uma serra e Neurodivas - autistas e neurodiversas). Escreve regularmente na revista Osso.

26 de dezembro de 2021
Quarta monologante: Lia Wolf
Nota biográfica: Eva, mãe e filha. Médica veterinária e formadora, no Porto. Assumiu o nome Lia Wolf para dar vida às emoções que transbordam e criou uma nova vida, após o divórcio - Lia Wolf em letras. Escrever, sempre foi a (sua) melhor forma de comunicar. Começou aos 12 anos com a poesia, que lhe permitiu sobreviver às agruras da adolescência. Não resiste a um bom desafio: é parte integrante de uma editora arrojada - a Minimalista, pela qual publicará o seu primeiro livro em 2022. É ativista, autista, cruamente verdadeira, criadora de soluções, inquieta por natureza e pela PHDA, humorista inadvertida, aficionada dos bichos em geral e gatos em particular, cuidadora por vocação.

9 de janeiro de 2022
Quinta monologante: Carol Souza
Nota biográfica: Carol Souza tem 28 anos, é autista e ativista.


23 de janeiro de 2022
Sexta monologante: Bonnie Bakeneko
Nota biográfica: Bonnie Bakeneko é um artista pansexual transmasculino não binário que dirige a Bakeneko Designs no Reino Unido. O seu trabalho centra-se principalmente em torno do processamento de traumas e trata de temas de género, terror corporal e psicossexualidade. Ele inicialmente começou a trabalhar com estes temas como uma espécie de terapia autoadministrada e elaborou a partir daí. Queria criar um espaço seguro de cura transformadora e auto-capacitação para aqueles que vivenciaram traumas e outras diferenças sociais. Bonnie expôs como parte da Pride London, apresentou-se no icónico Torture Garden e apareceu em revistas como Dazed and Confused, Vogue italiana, Vice e Hunger, bem como na RuPauls drag race no Reino Unido. (Legendado em português)


Sessão final com todas as monologantes: 13 de fevereiro de 2022
 

Ciclo coorganizado com a Associação Portuguesa Voz do Autista