Filipa Queirós


Nota biográfica

Filipa Queirós é licenciada e mestre em Sociologia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Frequenta atualmente o doutoramento em Sociologia na mesma instituição, onde desenvolve o projeto intitulado "Suspeição biogenética: Controvérsias e expectativas sobre tecnologias de inferência fenotípica no contexto de investigação criminal", sob a orientação de Helena Machado e Sílvia Portugal. Este insere-se no âmbito do projecto "EXCHANGE - Geneticistas forenses e a partilha transnacional de informação genética na União Europeia: relações entre ciência e controlo social, cidadania e democracia", (ref. 648608), financiado pelo Conselho Europeu de Investigação (ERC), coordenado por Helena Machado e sediado no Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho. A investigação que desenvolve explora, por um lado, as conceções do corpo que emergem de tecnologias de DNA forense e, por outro, os discursos mediáticos em torno de controvérsias associados à tecnologia de inferência fenotípica. Em particular, investiga a tecnologia de inferência fenotípica, os seus desenvolvimentos e impactos no campo forense, não apenas no contexto da investigação criminal, mas também no que diz respeito a novas formas de identidade humana relacionadas com conceções de população suspeita.


Últimas Publicações

Artigo em Revista Científica

Queirós, Filipa (2019), "The visibilities and invisibilities of race entangled with forensic DNA phenotyping technology", Journal of Forensic and Legal Medicine, 68, 1-7

Capítulo em Livro

Machado, Helena; Queirós, Filipa; Martins, Marta; Granja, Rafaela; Matos, Sara (2018), Vigilância genética, criminalização e coletivização da suspeição, in Sílvia Gomes, Vera Duarte, Fernando Bessa Ribeiro, Luís Cunha, Ana Maria Brandão e Ana Jorge (org.), Desigualdades Sociais e Políticas Públicas: homenagem a Manuel Carlos Silva. Braga: Edições Húmus, 529-548

Artigo em Revista Científica

White, Joanna; Queirós, Filipa (2018), "Reconcilable differences? Portuguese obstetricians' and midwives' contrasting perspectives on childbirth, and women's birthing experiences", Etnográfica, 22, 3, 643-668