Projeto de Tese de Doutoramento

A mulher e a biomedicina - narrativas silenciadas das práticas de saúde reprodutiva no Sul da Europa.

Orientação: João Arriscado Nunes e Susana de Noronha

Programa de Doutoramento: Pós-Colonialismos e Cidadania Global

Financiamento: FCT

O programa de trabalhos tem como objeto de estudo as vivências da saúde reprodutiva no Sul da Europa através da perspetiva das Epistemologias do Sul. Considerando a biomedicina, enquanto pensamento hegemónico, esta levou à medicalização da saúde reprodutiva, mas também à emergência de vozes consideradas dissonantes e de experiências negativas. Considera-se igualmente que, numa luta contra-hegemónica, as mulheres criaram redes informais de solidariedade e de saberes para superar essas experiências negativas. Pretende-se com esta investigação, através da análise de discurso de publicações nos media, de entrevistas e debate com os participantes, identificar os discursos contra-hegemónicos face ao posicionamento da biomedicina. Espera-se com este projeto sensibilizar para a violência ginecológica e obstétrica e contribuir com soluções para que as mulheres vivenciam de uma forma mais justa e positiva a sua saúde e que se adequem também às novas perspetivas sobre género, sexualidade e reprodução.