Apresentação

O Programa de Doutoramento em ‘Governação, Conhecimento e Inovação’, da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, organizado pelo Centro de Estudos Sociais (CES), teve início em 2005/2006, e inicia a sua Sétima edição em 2017/2018. O programa está adaptado às formas de organização propostas pela Declaração de Bolonha para o 3º Ciclo de estudos superiores. Estão atualmente a decorrer a terceira, quarta e quinta edições, com o desenrolar dos seminários de investigação e o trabalho de investigação com vista à apresentação das teses de doutoramento. Os estudantes desenvolvem investigação através de abordagens institucionalistas da economia, da economia da inovação e do conhecimento e dos estudos sociais da ciência. Exemplos de temas de teses incluem as instituições da economia social, a inovação na administração pública, o crédito à habitação e o sistema financeiro, a crise e a União Económica Monetária, os valores, e a valorização, nas políticas ambientais, o papel das organizações de doentes no sistema de saúde, as percepções e narrativas da doença, os desafios da saúde global e as redes de conhecimento, as políticas europeias e o ensino superior, os movimentos sociais, a participação nos processos de definição de políticas públicas, os direitos de propriedade industrial e os conhecimentos tradicionais.

Durante o primeiro ano do programa de doutoramento os estudantes frequentam quatro seminários em cada semestre. Dois seminários são comuns ao grupo de estudantes, e dois outros seminários dependem do perfil escolhido pelos estudantes, ‘Conhecimento e Inovação’ ou ‘Impactos Sociais da Ciência e da Tecnologia’.

O programa é uma parceria entre o CES e a Faculdade de Economia, à qual os estudantes deverão apresentar a sua candidatura e onde se inscrevem formalmente. Assim, os estudantes do programa de doutoramento são acolhidos pelo CES e são também alunos da Faculdade de Economia, que oferece todo o apoio a nível académico e excelentes condições informáticas. O CES é uma instituição de acolhimento de excelência, assim reconhecida nomeadamente no contexto de candidaturas a bolsas de doutoramento financiadas pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).


Diversidade e abertura

Os estudantes dos programas de doutoramento que chegam a Coimbra pertencem a contextos culturais diversos e frequentam um verdadeiro centro internacional. Os seminários e a investigação que têm lugar no CES refletem essa diversidade. Os nossos investigadores possuem uma vasta experiência em diferentes áreas e países e os nossos estudantes estão a desenvolver projetos de investigação em quatro continentes. Ao contrário de alguns centros onde se espera que os alunos sigam as agendas estipuladas pelos seus orientadores, o CES está aberto a propostas que vão ao encontro dos objetivos dos alunos. A diversidade patente no corpo de alunos que temos advém em parte do facto de vários estudantes de doutoramento chegarem até ao CES com experiência profissional, por vezes, ao abrigo de licenças. Outros, tendo recentemente concluído o seu mestrado, vêm à procura de desenvolver um trabalho no sentido de aprofundarem a sua área de estudo.


Um espírito interdisciplinar num centro de excelência em investigação de ciências sociais

Social e culturalmente diverso, o CES também beneficia da sua posição enquanto espaço multidisciplinar das ciências sociais e das humanidades, no qual os alunos podem assistir a aulas, conferências e seminários sobre diversas áreas académicas.


Um ambiente de apoio e acolhedor para a realização de um trabalho de pesquisa

A acrescentar à diversidade e abertura do CES há toda uma atmosfera acolhedora e de apoio do corpo docente bem como dos serviços administrativos. O grande nível de atenção, o treino e a orientação da parte dos docentes pretende ir ao encontro dos interesses individuais de cada aluno. Cada aluno poderá escolher dois orientadores, normalmente com experiências de trabalho complementares; beneficiarão também de uma ampla gama de conhecimentos da equipa académica do CES.

"No CES a valorização dos conhecimentos adquiridos ao longo dos percursos académicos e profissionais de cada doutorando é uma garantia. Os seminários têm em consideração essa diversidade e desafiam à iniciativa e sentido crítico, permitindo desde o início reflexões aprofundadas sobre os interesses individuais de investigação."

Samuel Vilela, em tese (Portugal)