Plano de estudos

Este plano de estudos foi aprovado pela Agência de Acreditação e Avaliação do Ensino Superior (A3ES) e aguarda para breve o respetivo registo na Direção Geral de Educação (DGES).
 

1º ano

1º semestre

Teorias e Instituições Democráticas (10 ECTS)
Leonardo Avritzer e Ana Raquel Matos
O que é democracia? De onde vem a ideia? Pode ser justificada, e com que fundamento? Quais são os seus limites? Esta unidade curricular (UC) tem como objetivo explorar estas e outras perguntas que estão no cerne da teoria democrática e assim refletir criticamente sobre as práticas democráticas. Os estudantes deverão conhecer e analisar criticamente a teoria democrática, centrando-se no debate contemporâneo a partir do século XX. A UC está dividida em três blocos que têm como objetivos: (1) identificar as principais conceptualizações da democracia e das suas transformações; (2) olhar para inovações conceptuais e posições críticas que têm posto em causa a teoria democrática mainstream (3); examinar contextos concretos em que a teoria democrática tem sido testada, e explorar as diferentes escalas da democracia, através da análise das suas principais instituições.
Língua de trabalho: Português

Eurocentrismo e (Anti)Racismo (10 ECTS)
Marta Araújo e Silvia Rodriguez Maeso
O seminário explora as inter-relações entre racismo e cidadania a partir de dois eixos: a) racismo, colonialismo e o mito da modernidade; b) políticas públicas, lutas políticas e produção de conhecimento. Pretende-se que os/as estudantes adquiram ferramentas teórico-analíticas críticas e interdisciplinares sobre Eurocentrismo e (anti-)racismo que dialoguem com a historicidade dos conceitos, as lutas políticas e a produção do conhecimento. Objetivos específicos: a) compreensão histórica de raça/racismo como categorias e fenómenos políticos intrínsecos ao projeto e discurso da modernidade, e, portanto, ao colonialismo e à formação dos estados-nação; b) análise crítica das configurações atuais e das conceções dominantes do racismo, considerando as estruturas políticas e socioeconómicas mais amplas; c) reflexão sobre o papel da academia e das políticas públicas sobre integração/inclusão na fixação dos termos do debate, com consequências para a perpetuação de estruturas de privilégio. Os estudantes que concluírem com aproveitamento este seminário deverão conhecer e analisar criticamente textos académicos e debates políticos neste âmbito e a sua relação com noções como democracia, nação e inclusão.
Língua de trabalho: Inglês

Crise Ecológica e Democracia (10 ECTS)
Stefania Barca e Alison Neilson
Este curso destina-se a oferecer uma visão global da crise ecológica nas suas interconexões múltiplas: político-económicas, culturais, epistemológicas, governamentais. Os alunos deverão compreender os processos históricos que levaram à crise atual, bem como a diversidade de implicações que os problemas ambientais representam para diferentes grupos sociais em diferentes contextos (as chamadas ‘desigualdades ambientais’), reconhecendo simultaneamente a sua natureza trans-escalar e respetivas implicações globais. O objetivo final do seminário é que os alunos adquiram a capacidade de desenvolver formas novas e imaginativas de concetualizar a relação natureza/sociedade em diferentes contextos geopolíticos e culturais, para poderem contribuir para a formulação de políticas ambientais mais inclusivas, democráticas e socialmente justas. Uma atenção especial será dada às novas instituições e quadros normativos que disciplinam o domínio do meio ambiente.
Língua de trabalho: Inglês

2º semestre

Governação Global e Democracia (10 ECTS)
Teresa Almeida Cravo
Esta unidade tem como objetivo identificar os mecanismos e dinâmicas de governação global presentes no sistema internacional, questionando o lugar e a densidade da democracia nesses processos. Pretende igualmente analisar criticamente a promoção e imposição da democracia às escalas regional e internacional, contribuindo para a compreensão da ligação entre democracia, paz e conflitualidade. Finalmente, esta unidade curricular visa explorar os diferentes entendimentos de democracia global: o modelo dominante de padronização exógena e as práticas de resistência e construção de democracia local.
Língua de trabalho: Inglês

Governação, Conhecimentos e Participação  (10 ECTS)
João Arriscado Nunes e Mauro Serapioni
O objetivo central desta UC é a aquisição de conhecimentos e competências nos domínios 1) das formas de apropriação do conhecimento científico e de tecnologias na governação das sociedades contemporâneas, à luz dos debates em curso sobre democracia e cidadania; 2) das configurações biopolíticas e tecnopolíticas dominantes e emergentes; 3) dos modos de constituição de públicos e de participação em situações problemáticas ou de controvérsia envolvendo, nomeadamente, a ciência, a tecnologia, a saúde e o ambiente; 4) das respostas a situações de risco e de vulnerabilidade.
Pretende-se que os alunos identifiquem e analisem criticamente as abordagens teóricas desta área de estudos, bem como variados estudos de caso que permitam dar a conhecer contribuições e experiências diversas, do Norte e do Sul. Procura-se assim promover o diálogo entre diferentes abordagens e casos.
Língua de trabalho: Português

Poderes Locais e Participação  (10 ECTS)
Giovanni Allegretti
A unidade curricular (UC) tem como objetivo analisar as dinâmicas de governação em torno de dois eixos centrais: (1) as mudanças impostas pelos princípios da subsidiariedade e as práticas de descentralização nos quadros normativos das políticas públicas, e (2) o surgimento de inovações de democracia direta e participativa que complementam o funcionamento das instituições representativas. Pretende-se que os alunos identifiquem e critiquem estas inovações através de abordagens quantitativas e qualitativas, numa perspetiva de “continuidade/descontinuidade” com as formas tradicionais de envolvimento dos cidadãos nas políticas públicas. Para uma melhor compreensão temática, alguns módulos são especificamente dedicados à transformação das empresas públicas, e outros ao tema “política, saúde e sociedade”. Dada a relevância dos orçamentos participativos e dos processos de planeamento estratégico em várias partes do mundo, esta UC analisa especificamente a variedade de experiências que estas práticas têm suscitado.
Língua de trabalho: Inglês

2º ano
Seminário de Metodologias de Investigação (10 ECTS)
Projeto de Tese (20 ECTS)
Tese de Doutoramento (30 ECTS)

3º e 4º anos
Tese de doutoramento (120 ECTS)