Rita Alcaire


Nota biográfica

Antropóloga e documentarista. Doutoranda em Human Rights in Contemporary Societies e Mestra em Psiquiatria Cultural. Tem como temas de eleição identidade(s), sexualidade(s) e popular culture (cinema, televisão e música). O seu percurso profissional e académico tem sido uma resposta às diversas inquietações que lhe têm surgido em torno dessas áreas de interesse, a que se junta o vídeo como uma das formas privilegiadas de as trabalhar. Co-realizou com Rodrigo Lacerda os documentários Filhos do Tédio (2006), Breve História do Rock de Coimbra (2010), O Pessoal do Pico Toma Conta Disso (2010), Um Quarto no Éter (2011), Filarmónicas da Ilha Preta (2011) e Das 9 às 5 (2011). A estes trabalhos junta-se Para-Suicídio Pop (2008), realizado inicialmente para o cumprimento da parte curricular do Mestrado. Tem várias obras publicadas, das quais se destacam Filhos do Tédio (Editora Pé de Página, 2005); o número especial do Magazine de Artes de Coimbra (Arte à Parte, 2010), que coordenou; e o capítulo 'Representações da masturbação no cinema e na televisão mainstream' (Imprensa da Universidade de Coimbra, 2015). Levou a efeito vários projectos culturais, sociais e antropológicos, designadamente no âmbito da história oral e identidade. Está neste momento a desenvolver, para o seu doutoramento, um projecto colaborativo de investigação-acção no âmbito da cidadania íntima e dos direitos sexuais intitulado 'The Asexual Revolution: discussing asexuality through the lens of human rights'.


Últimas Publicações

Artigo em Revista Científica

Alcaire, Rita (2016), "The pathologisation of sexual diversity", Revista Ex-Aequo, 32

Capítulo em Livro

Alcaire, Rita (2015), Representações da masturbação no cinema e na televisão mainstream, in Manuel João Quartilho (org.), Cadernos de Psiquiatria Cultural. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra

Livro

Alcaire, Rita (2006), Bandas Filarmónicas do Concelho de Cantanhede. Cantanhede: Município de Cantanhede