Gláucia Nogueira


Nota biográfica

Gláucia Nogueira é natural de Santo Anastácio, SP, Brasil. Em S. Paulo, estudou jornalismo, entre 1982 e 1985. Trabalhou alguns anos como jornalista e mais tarde viveu em França e Portugal, onde trabalhou como free lancer e na Agência Lusa, que nessa altura se lançava na informação online. São desse período os seus primeiros contactos com a cultura cabo-verdiana, sobre a qual virá a dedicar-se como investigadora. Em 1994, vive alguns meses em Cabo Verde, período em que germina a ideia de pesquisar sobre a música do arquipélago. De regresso ao Brasil em 1995, começa a elaborar o projecto que em 1997 a faz regressar a Portugal, onde inicia uma longa pesquisa bibliográfica e discográfica sobre a produção musical cabo-verdiana. Na década de 2000 licencia-se em Antropologia. Defende o mestrado em Património e Desenvolvimento em 2011, na Universidade de Cabo Verde, com o tema "Batuku, património imaterial de Cabo Verde - Percurso histórico-musical". Em 2015 inicia o doutoramento em Patrimónios de Influência Portuguesa, na Universidade de Coimbra, dando continuidade à investigação tendo Cabo Verde como tema. Neste caso, as músicas europeias do século XIX em Cabo Verde e sua conversão num elemento da tradição local.


Últimas Publicações

Livro

Nogueira, Gláucia (2016), Cabo Verde & a Música - Dicionário de Personagens. Lisboa: Campo da Comunicação

Ler mais

Livro

Nogueira, Gláucia (2015), Batuku de Cabo Verde. Percurso histórico-musical. Praia, Cabo Verde: Pedro Cardoso Livraria

Ler mais

Artigo em Revista Científica

Nogueira, Gláucia; Jo di Bango (2014), "Do 'badju di gaita' ao funaná-soukouss, da música rural ao pop: o percurso do funaná ao longo de um século", Revista Brasileira de Estudos da Canção - REBEC, 5