Rui Bebiano


Nota biográfica

Rui Bebiano é historiador, professor de história contemporânea no Departamento de História, Estudos Europeus, Arqueologia e Artes da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e investigador do Centro de Estudos Sociais. É, desde 2011, diretor do Centro de Documentação 25 de Abril. Tem dirigido cadeiras, cursos e seminários no domínio da história política e cultural moderna e contemporânea. Publica desde 1971 artigos académicos e de opinião, crónicas, recensões críticas e ensaios distribuídos por jornais, revistas, dicionários, catálogos, folhas de sala e outras publicações. Participou nos anos 80 na renovação dos estudos barrocos, publicando "D. João V. Poder e Espetáculo". Em 1997 doutorou-se com uma tese no campo da história das ideias - "A Pena de Marte. Discurso da guerra em Portugal e na Europa entre os séculos XVI e XVIII" - que ganhou no ano seguinte o Prémio de Defesa Nacional. Foi colaborador da 'História de Portugal' e da 'História Militar de Portugal', ambas editadas pelo Círculo de Leitores. Dedicou-se também a temas de cibercultura e de história da leitura, tendo, entre 1996 e 2002, coordenado uma das primeiras publicações eletrónicas em rede do espaço lusófono. Lançou em 2001 "Folhas Voláteis", o primeiro volume de crónicas editadas originalmente na Internet. Entre 2005 e 2015 foi colaborador regular da revista literária LER. Trabalha atualmente em temas de história cultural e política desde os anos cinquenta até ao presente, em particular no campo da história das ideias e dos intelectuais, das construções utópicas e das práticas de exclusão e silenciamento na relação com a história e a memória. Publicou em 2003 "O Poder da Imaginação. Juventude, Rebeldia e Resistência nos Anos 60". Mais recentemente saíram "Anos Inquietos. Vozes do Movimento Estudantil em Coimbra (1961-1974)" (em coautoria com Manuela Cruzeiro) e "Do Ativismo à Indiferença. Movimentos Estudantis em Coimbra" (em coautoria com Elísio Estanque). Publicou também "Outubro", um livro sobre o imaginário e o impacto simbólico da Revolução de 1917, e em 2017 "Tony Judt - historiador e intelectual público", um ensaio sobre o lugar político da História na relação com a obra e a vida do historiador britânico. É membro do conselho de redação ou consultor de diversas publicações académicas e orientador de uma centena de teses de mestrado e doutoramento.


Últimas Publicações

Capítulo em Livro

Bebiano, Rui (2017), Cultura Popular, in António Reis e Maria Inácia Rezzola (org.), Dicionário de História de Portugal. O 25 de Abril. Porto: Figueirinhas, 70-74

Capítulo em Livro

Bebiano, Rui (2017), Documento-Guia da Aliança Povo-MFA, in António Reis e Maria Inácia Rezzola (org.), Dicionário de História de Portugal. O 25 de Abril. Porto: Figueirinhas, 188-198

Capítulo em Livro

Bebiano, Rui (2017), Não há um Outubro - paradigma e variações, in Parsifal (org.), Revolução Russa - 100 anos depois. Lisboa: Parsifal, 149-176